MAIS LUZ PARA A AMAZÔNIA: Amazonas Energia realiza visita em reserva de Manacapuru para implantação de energia solar

Destaques

Na quarta (14), uma equipe técnica da Amazonas Energia visitou a Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do lago do Piranha, localizada no município de Manacapuru. O objetivo da visita foi realizar o levantamento técnico de ações necessárias para implantação de painéis de energia solar em 78 residências flutuantes.

Os atendimentos da Amazonas Energia serão de acordo com o 1º termo de compromisso pactuado com a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), com a disponibilização de energia para 78 consumidores que ainda não possuem energia, na Reserva em Manacapuru, assim como para 4.380 consumidores em outros municípios do ano de 2022, totalizando 4.458 unidades consumidoras com energia solar por meio de painéis fotovoltaicos. As obras de implantação no Lago do Piranha têm previsão de início para 16/08/21.

O projeto está sendo coordenado pelo Departamento de Universalização do Acesso à Energia – DIL. Participaram da visita técnica a Gestora do contrato, Telma Silva de Paula – DIL, Esmael Vieira da Silva coordenador de meio ambiente – DRJ e o coordenador da agência de Manacapuru Rosângelo Cândido de Souza – DIC. Bem como a equipe técnica da empresa contratada para execução dos serviços.

A implantação de energia solar em comunidades isoladas, está sendo realizada em atendimento ao Decreto nº 10.221, DE 5 DE FEVEREIRO DE 2020, no qual instituiu o Programa Nacional de Universalização do Acesso e Uso da Energia Elétrica na Amazônia Legal – Mais Luz para a Amazônia, além de reforçar o valor de sustentabilidade da Companhia.

A implantação de painéis de energia solar, será por meio da solução de energia do SIGFI, na qual é composta de conjunto de painéis solares, inversores integrados aos controladores de carga, proteções CC/CA, distribuição para conexão elétrica dos equipamentos, armazenamento de energia utilizando baterias de Lítio Ferro Fosfato (LFP) e os periféricos necessários para implantação.

Energia limpa e sustentável

Atualmente a comunidade do Lago do Piranha utiliza os conhecidos “motores de luz” que utilizam óleo diesel para usufruírem de energia elétrica por apenas quatro horas por dia. Com a implantação do Sistema SIGFI, os moradores da região terão energia com maior qualidade, confiabilidade e sustentabilidade, 24 horas por dia, com até dois dias de autonomia sem a incidência de raios solares. Permitindo assim que a comunidade tenha acesso à energia elétrica, com desenvolvimento sustentável e melhoria das atividades econômicas desenvolvidas na região.

A energia solar é sustentável porque sua matéria prima é originada da natureza, ou seja, a captação de energia elétrica é feita pela luz do sol. Desta forma, os recursos naturais podem ser usados de forma abundante e renovável, não afetando o meio ambiente, principalmente por ser implantada em uma unidade de conservação, que tem como característica a proteção ambiental. A RDS do lago do Piranha, é uma área natural que abriga população ribeirinha, que vivem dos recursos naturais ali existentes.